quarta-feira, 30 de setembro de 2009


Ha alguns dias me peguei percebendo, de todas aquelas coisas que são tão simples e me fazem feliz, simplismente isso. Lembraças tão simples, mas que me trouxeram mil sorrisos, não forçados, mas sim sinceros. Como era tão bom, subir na parte mais alta da árvore me lambuzar de sorvete dos pés a cabeça com minhas primas, sem me importar se meu cabelo estava todo sobre meu rosto ou se minha roupa de branca estava preta; sem ter aquela preucupação, pois afinal branqueadores e escova existem para isso. Então porque será que agora só sabemos falar de meninos bonitos, as festas que irão ter e métodos de beleza? Porque não voltamos a nos descabelar de felicidade e não de desespero? Ou quando dançavamos sem preucupação de parecermos ridiculas e desengonçadas, por mais que a cada segundo caíssimos no chão e começacemos a rir de nós mesmas. Era tão bom, aquele final de semana na casa da vovó, eu sempre derrubando os copos cheios de refrigerante e quebrando tudo que visse pela frente por minha tamanha desastração, e todas as nossas competições de quem conseguia balançar mais alto e de derepente soltar as correntes do balanço e sair rolando pelo chão da praça até ficarmos todas imundas de areia, então porque não paramos de tentar ser as adultas maduras e sejamos crianças, podendo voar o mais alto que alcançar e quando cair mesmo que doa, está sorrindo pra todos verem que apesar de tudo você está ali, se reerguendo, pra mais uma tentativa, pra faze-la ser de sucesso. Resolvi tentar tudo de novo, sem medo de parecer aquela garota infantil, e sim uma pessoa tentando ser feliz. Então vamos tirar nossos velhos patins doa ármarios e tentar nos equelibrar, como se fosse a primeira vez, e então fechar os olhos e deslizar até a pressão parar das rodinhas. Então quem quiser atolar os brinquedos debaixo de toda essa lama da hipocrisia e vir comigo na magia das coisas simples, me acompanhe e o passaporte é o sorriso.

5 Comentários:

Blogger Regina Zanette disse...

Muito lindo *-*
Achei que só eu pensasse assim SAUIHDUIS

30 de setembro de 2009 20:52  
Blogger Pri... disse...

Muito lindo!
Alías, todos os posts são ótimos.
Adoro este blog.

Bjo

30 de setembro de 2009 21:58  
Blogger Mariana Andrade. disse...

só uma correção : vamos tirar nossos VELHOS, AMASSADOS E QUEBRADOS patins do armário aheuahe pelo menos é assim que os meus estão.
muito fofo o texto (:

;*

30 de setembro de 2009 22:18  
Blogger Márcia Amaral disse...

porque na verdade, a sociedade colocou isso na nossa cabeça, se ano passado eu ainda tinha o cabelo esfarofado pq não ligava, e logo depois que começei a " gostar " de alguém mudei completamente, é pq a sociedade colocou isso na nossa cabeça ! precisamos crescer, ser maduras, e saber desafiar tudo e todos, porque afinal, há gente assim no mundo não é ? e sim, há saudades disso tudo, precisamos sim de tardes felizes como essas, mas depois, precisamos enfim enchergar que não somos mais crianças, e querendo ou não, precisamos crecer ! EU SEMPRE SOU DO CONTRA , HAUFHAU

30 de setembro de 2009 23:32  
Blogger Natália disse...

Pare de se preocupar no que os outros pensam. Nós somos o que queremos ser. Antes me preocupava com o que fulaninho ou beltraninha iria achar, mas hoje, quero mais é que se fodão. beijos

1 de outubro de 2009 00:15  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial